Mente Nobre

Mente Nobre

O projeto/movimento Mente Nobre nasceu durante uma reunião administrativa, por conta de uma inquietação antiga e constante no coração do Pr. Edson: a desorganização e desmazelo dos espaços multiuso de toda a nossa estrutura.

 

Considerando que o zelo realizado em nossa morada diária, deve ser o mesmo com as coisas de uso comum da igreja, de modo algum devemos proceder à revelia a respeito do que pertence à igreja, enquanto instituição. Esse pensamento é comparado ao do cidadão que diz: O prefeito que limpe bueiros e praças, é problema dele!

 

O pensamento de um nobre, não deve ser contrário ao que Jesus ensina, pois somos conhecidos como filhos do Altíssimo pelos nossos frutos (Mateus 7:16). Esses frutos são condutas que condizem com o caráter de Cristo, e isso refere-se a exatamente tudo em nossas vidas. Organização, cuidado, limpeza, respeito também fazem parte de um caráter nobre.

 

Se somos guiados pelo Espírito Santo, somos automaticamente antagônicos a ações opostas ao que Jesus faria, desde as coisas compreendidas como “nada a ver” pela grande massa da sociedade, a exemplo: jogar papel no chão. Devermos ser aqueles que vão atrás catando e ensinando pelo humilde exemplo do serviço. Somos aqueles que limpam, recolhem, zelam, destacando-se como diferentes no agir.

 

Não com pouca frequência, andando pelas dependências da igreja nos deparamos com durex colados pelas paredes, panos jogados aos cantos, lixos e entulhos atrás das cortinas do auditório, pregos, fios e fitas na entrada do ginásio, objetos perdidos e deixados na área do pátio coberto. Vira e mexe somos surpreendidos com microfones que caíram ao chão e ninguém avisou para que tivéssemos tempo de consertar. Cabos, controles de ares e diversos materiais de uso comum somem, e aos poucos vemos tarefas que são deixadas para trás a espera de outro que faça se acumularem.

 

Desde sempre não se procurou por culpados, mas por uma solução coletiva. Essa busca nos conduziu a reunir todo pessoal administrativo, operacional, lideranças de ministérios e projetos sociais. A esse grupo algumas outras pessoas foram acrescentadas, pessoas que em caráter de voluntariado compõem também essa grande equipe quase invisível.

 

O Mente Nobre não é um movimento que oferece em si qualquer status, mas que destaca e busca imprimir valores dos céus no lugar da mentalidade individualista e humanista tão impregnado na sociedade.

 

Com base nesses fatores, em Setembro desse ano, deu-se início ao Mente Nobre que está alicerçado em Isaías 32:8 “Mas o nobre projeta coisas nobres e na sua nobreza perseverará.” A esse grupo específico de pessoas dá-se o nome de massa crítica. Abaixo nas palavras do nosso pastor Edson Mesquita:

 

“MORDOMIA COM MENTE NOBRE

Toda organização, para que funcione de maneira eficiente e crescente, tem o que chamamos de “massa crítica”. O termo “massa crítica” é muito usado para descrever uma, quantidade mínima de indivíduos necessária em um sistema social para que este possa se tornar autossustentável e que o permita crescer.

Em outras palavras, a massa crítica é o grupo formado por pessoas chaves, que assimilaram a filosofia e a identidade daquele grupo social, portanto determinante para a saúde e o crescimento da organização.

No caso da Igreja, essas pessoas exalam a cultura do Reino e a identidade da igreja local de tal forma que todos os que se achegam vão sendo contagiados com a mesma mentalidade e transformados em seu comportamento. Eles exercem a força influenciadora que permite aos demais filhos da comunidade assimilar o padrão de pensamento desse organismo, ou seja, “como as coisas devem funcionar”, “como é que se faz as coisas por aqui”, “como nós pensamos”, “o que estamos fazendo e para onde estamos indo…”.”

 

O Mente Nobre parte do princípio de que devemos fazer o melhor possível com o que temos disponível. As famosas “gambiarras” devem ser o primeiro quesito levado a zero. Em conjunto é importante manter ativo o pensamento de que devemos nos superar em entregar ou devolver algo/espaço muito melhor do que pegamos. Essa postura é contraditória, pois nos leva a ter a sensação de perda, o que não é verdade, muito pelo contrário. Em Jesus ganhamos exatamente quando perdemos. Somos os servos da orelha furada (Êxodo 21:5-6).

 

Em 2018 tivemos a oportunidade de duas edições desse tempo e em ambos momentos observamos frutos. Para 2019 novas datas foram reservadas. O projeto/movimento deixa de ser um piloto para transformar-se numa visão continuada de melhoramento que se renova a cada dia. Em 2019 faça você também parte dessa mudança!

 

Para se inscrever, preencha o formulário desse link:

 

https://docs.google.com/forms/d/e/1FAIpQLSdQ2_-yj_gNYgGAmQGWrypi-6LmK62hmiA1G0AL7pzWcfgRrg/viewform