Palavra Conecta// 07 de abril

As cicatrizes trazem maturidade

 

Os livros trazem conhecimento, mas são as cicatrizes que trazem maturidade. Maturidade tem sido uma palavra cada vez mais extinta em nossos dias. Vivemos no mundo de faz de conta. As redes sociais são os lugares onde mais se vê o faz de conta. Lá, todos os casais são apaixonados, todos se divertem indo para lugares maravilhosos. Não tem foto de pessoas tristes, somente fotos de gente sorrindo.

Infelizmente, o mundo é mau e cruel. No Brasil segundo a organização mundial da saúde, uma pessoa morre assassinada a cada nove minutos. São mais de sessenta mil pessoas por ano. Neste momento de reflexão da palavra, 6,6 pessoas morrerão assassinadas no Brasil. Segundo a mesma OMS no Brasil, em 2015 morreram 223.400 pessoas de câncer.  Isto dá quase quatro vezes mais do que a morte por assassinato. Infelizmente dentro desta estatística, estão os filhos de Deus. Nós somos acostumados que os “maus” devem sofrer ou merecem sofrer, mas quando alguém que é justo sofre? Qual é a nossa reação?

 

Exemplo de Jó

 

Na terra de Uz vivia um homem chamado Jó. Era homem íntegro e justo; temia a Deus e evitava o mal. Tinha ele sete filhos e três filhas, e possuía sete mil ovelhas, três mil camelos, quinhentas parelhas de boi e quinhentos jumentos, e tinha muita gente a seu serviço. Era o homem mais rico do oriente.

Certo dia os anjos vieram apresentar-se ao Senhor, e Satanás também veio com eles.

O Senhor disse a Satanás: “De onde você veio? ” Satanás respondeu ao Senhor: “De perambular pela terra e andar por ela”.

Disse então o Senhor a Satanás: “Reparou em meu servo Jó? Não há ninguém na terra como ele, irrepreensível, íntegro, homem que teme a Deus e evita o mal”.

“Será que Jó não tem razões para temer a Deus? “, respondeu Satanás.

“Acaso não puseste uma cerca em volta dele, da família dele e de tudo o que ele possui? Tu mesmo tens abençoado tudo o que ele faz, de modo que todos os seus rebanhos estão espalhados por toda a terra.

Mas estende a tua mão e fere tudo o que ele tem, e com certeza ele te amaldiçoará na tua face. “

O Senhor disse a Satanás: “Pois bem, tudo o que ele possui está nas suas mãos; apenas não encoste um dedo nele”. Então Satanás saiu da presença do Senhor.

Ao ouvir isso, Jó levantou-se, rasgou o manto e rapou a cabeça. Então prostrou-se no chão em adoração, e disse: “Saí nu do ventre da minha mãe, e nu partirei. O Senhor o deu, o Senhor o levou; louvado seja o nome do Senhor “.

Em tudo isso Jó não pecou nem de nada culpou a Deus.

(Jó 1:1-3; 6-12; 20-22).

 

Jó provavelmente viveu antes de Abraão. Ele era o homem mais poderoso da terra na sua época e experimentou grande sofrimento. Depois de perder seus 10 filhos e toda sua fortuna, Jó não culpa a Deus pelo seu sofrimento. No Capítulo dois de Jó vamos ver que além de matar os filhos e tirar toda a sua riqueza, Jó agora é acometido de graves doenças.

“Então saiu Satanás da presença do Senhor, e feriu a Jó de úlceras malignas, desde a planta do pé até ao alto da cabeça. E Jó tomou um caco para se raspar com ele; e estava assentado no meio da cinza. Então sua mulher lhe disse: Ainda reténs a tua sinceridade? Amaldiçoa a Deus, e morre”. (Jó 2:7-9)

A dor e o sofrimento fazem parte do plano de Deus para nós? Infelizmente a maioria dos cristãos não conseguem lidar com a dor e o sofrimento. Usando o exemplo da dor e sofrimento de Jó, quero abordar algumas questões importantes que podemos aprender com tudo isso.

 

A noite escura da alma

 

O capítulo três de Jó é conhecido como a noite escura da alma. Antes de se aprofundar no texto, precisamos entender que toda a escritura foi inspirada por Deus.

“Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (2 Timóteo 3:16,17).

Se toda a escritura é inspirada por Deus, o capítulo três também é.

Neste capítulo ele diz: “Depois disso Jó abriu a boca e amaldiçoou o dia do seu nascimento, dizendo: “Pereça o dia do meu nascimento e a noite em que se disse: ‘Nasceu um menino! ’Jó” (3:1-3).

Entre um capítulo e outro devem ter passado semanas ou meses. O tempo pode mudar nosso humor, a nossa perspectiva e o modo como vemos as coisas. A atitude dos amigos de estarem em silencio, dá entender que eles estão esperando a morte de Jó. A sua esposa manda Jó amaldiçoar a Deus e morrer e ainda tem Deus que até este momento, não fala nenhuma palavra.

Jó desejou nunca ter nascido. Ele amaldiçoa o dia do seu nascimento. Quantos de nós já passamos por situações que não conseguimos entender por quê? Por que meus pais se separam quando eu nasci? Que culpa eu tive nisto? Por que minha mãe morreu de câncer? Logo ela que era uma ótima mãe! Por que eu fui abusada sexualmente quando era criança? Que mal eu fiz? Estou sendo fiel a Deus a tantos anos e única coisa que peço a Ele é uma família. Já estou com quase quarenta anos e nada. Meu destino é ser uma solteirona infeliz?  Estas são algumas perguntas que talvez assim como Jó, você nunca tenha respostas. E como Jó, você já pediu a Deus por nunca ter nascido. Quero dizer que Deus entende você e Ele não repreendeu Jó por ele ter pedido para amaldiçoar o dia do seu nascimento.

“…pois não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer-se das nossas fraquezas, mas sim alguém que, como nós, passou por todo tipo de tentação, porém, sem pecado.

Assim sendo, aproximemo-nos do trono da graça com toda a confiança, a fim de recebermos misericórdia e encontrarmos graça que nos ajude no momento da necessidade”.

(Hebreus 4:15,16). Vendo este texto, percebemos que o que devemos fazer quando estamos passando por dor e sofrimento é correr para Deus e não fugir de Deus. Infelizmente, muitos fogem de Deus quando estão passando por dor e sofrimento e se esquecem que Deus usa também a dor e o sofrimento para a glória dEle.

 

Os amigos de Jó 

 

Os amigos de Jó são um capítulo à parte e muito interessante nesta história de Jó. Do capítulo quatro até o capítulo trinta e sete, acontece o diálogo entre Jó e seus três amigos. O resumo da fala dos amigos de Jó estão nos versículos a seguir.

“Reflita agora: Qual foi o inocente que chegou a perecer? Onde foi que os íntegros sofreram destruição? Pelo que tenho observado, quem cultiva o mal e semeia maldade, isso também colherá. Pelo sopro de Deus são destruídos; pelo vento de sua ira eles perecem” (Jó 4:7-9).

O resumo da fala dos amigos é: o sofrimento é uma consequência do pecado. Nós sabemos que Jó era homem íntegro e reto diante de Deus e sabemos que a dor e o sofrimento dele não está relacionado ao pecado. O conselho dos amigos de Jó gerou ira em Deus.

“Depois que o Senhor disse essas palavras a Jó, disse também a Elifaz, de Temã: “Estou indignado com você e com os seus dois amigos, pois vocês não falaram o que é certo a meu respeito, como fez meu servo Jó” (Jó 42:7).

Hoje em nossos dias, os amigos de Jó se disfarçam de falsos profetas. Infelizmente é cada vez maior o número de falsos profetas no meio evangélico. Eles parecem que amam as pessoas que estão sofrendo, mas na verdade só querem aparecer. São lobos infiltrados de ovelhas. Lembro de uma história contada por uma irmã. Uma amiga dela estava com câncer terminal. Ela era uma bela mulher casada com um belo marido e um lindo filho. Era uma pessoa ativa na igreja, ajudava muitas pessoas, uma ótima mãe, mas infelizmente tinha câncer. Os médicos não tinham mais esperanças para ela. Num dia, ela soube de alguns irmãos que estavam se reunindo para orar e que lá “deus” estava agindo. A irmã doente de câncer, conseguiu tirar das poucas forças que tinha e foi na oração. Lá na reunião, um(a) lobo(a) disfarçado(a) de ovelha teve uma “revelação de deus”. A mulher deveria confessar seus pecados publicamente naquele lugar e então ela seria curada. Foi o mesmo conselho dos amigos de Jó. Se ela estava com câncer, então ela estava em pecado. Ela querendo ser curada, confessou seus pecados desde sua infância até seus mais de quarenta anos que possuía. Infelizmente para nós, mas a glória de Deus esta irmã não foi curada e está com o Senhor agora, mas este(a) lobo(a) vestido de ovelha está solto, e nem imagina que está sobre a ira de Deus.

Martinho Lutero que foi o pai da reforma protestante disse sobre as profecias: “Sempre que você ouvir alguém se vangloriar de que ele tem algo por inspiração do Espírito Santo, e não possui nenhuma base na Palavra de Deus, não importa o que seja, diga-lhe que isto é obra do Diabo”.

Deus é muito duro com aqueles que falam coisas dizendo ser de Deus, mas não são.

“Mas o profeta que ousar falar em meu nome alguma coisa que não lhe ordenei, ou que falar em nome de outros deuses, terá que ser morto”.

Mas vocês perguntem a si mesmos: “Como saberemos se uma mensagem não vem do Senhor?” Se o que o profeta proclamar em nome do Senhor não acontecer nem se cumprir, essa mensagem não vem do Senhor. Aquele profeta falou com presunção. Não tenham medo dele”. (Deuteronômio 18:20-22).

O novo testamento é mais duro quando se fala de falsos profetas. Ele usa palavras como poços secos, árvores infrutíferas, ondas furiosas, estrelas errantes, animas irracionais, porcos amantes da lama e lobo vorazes.

Jesus falando sobre os fins dos tempos diz: “…e numerosos falsos profetas surgirão e enganarão a muitos. Devido ao aumento da maldade, o amor de muitos esfriará,

mas aquele que perseverar até o fim será salvo”. (Mateus 24:11-13)

Pedro também afirma em sua carta: “No passado surgiram falsos profetas no meio do povo, como também surgirão entre vocês falsos mestres. Estes introduzirão secretamente heresias destruidoras, chegando a negar o Soberano que os resgatou, trazendo sobre si mesmos repentina destruição. Muitos seguirão os caminhos vergonhosos desses homens e, por causa deles, será difamado o caminho da verdade” (2 Pedro 2:1,2).

Paulo dá a forma como devemos tratar a profecia:

“Não tratem com desprezo as profecias,

mas ponham à prova todas as coisas e fiquem com o que é bom.

Afastem-se de toda forma de mal” (1 Tessalonicenses 5:20-22).

 

Qual deveria ser a postura dos amigos de Jó?

 

Ágape (AMOR) deveria e deve ser a nossa postura diante daqueles que estão sofrendo.

O ágape nunca desiste. O ágape se preocupa mais com os outros do que consigo mesmo. O ágape não quer o que não tem. O ágape não é esnobe, não tem a mente soberba, não se impõe sobre os outros, não age na base do “eu primeiro”, não perde as estribeiras, NÃO CONTABLIZA OS PECADOS DOS OUTROS, não festeja quando os outros rastejam, tem prazer em desabrochar a verdade, tolera qualquer coisa, confia sempre em Deus. Sempre procura o melhor, nunca olha para trás, mas prossegue até o fim”. (1 Coríntios 13:4-7 / Bíblia A Mensagem)

 

A postura que Deus queria que os amigos de Jó tivessem, e o mesmo vale para nós em nossos dias é o Ágape.

Se você está passando por dor e sofrimento, meu conselho para você é:

“Sabemos que Deus age em todas as coisas para o bem daqueles que o amam, dos que foram chamados de acordo com o seu propósito”. (Romanos 8:28).

Deus nunca pediu para você entende-lo, pois, os pensamentos dEle são maiores que nossos pensamentos e os planos dEle são maiores que nossos planos. Diante disso a única cosia que devemos fazer é confiar. Nunca se esqueça que Deus ama você!