Palavra Conecta // 16 de junho

Em nome de quem você tem falado?

(Jó 26:4)

 

“Quem o ajudou a proferir essas palavras, e por meio de que espírito você falou?”

 

Estamos refletindo nestes dias sobre discipulado, palavra da moda nas igrejas e bíblica pois Jesus nos mandou fazer discípulos (Mateus 28:19). O problema é que vivemos na geração dos atalhos. Somos uma geração extremamente preguiçosa nas questões espirituais, por isso, queremos tudo pronto. E na ânsia de ajudar as pessoas, os cristãos saem visitando pessoas para “ajuda-las”. Foi assim que aconteceu com os amigos de Jó.

Jó era homem integro, justo; temia a Deus e evitava o mal (Jó 1:1). Por permissão de Deus, Jó perdeu seus filhos, seus bens e sua saúde (Jó cap. 1 e 2). Jó estava desolado esperando sua morte, nisto chegam três amigos para visitarem e ajudarem a Jó com seus conselhos. O resumo dos conselhos dos amigos foi: Jó você está assim pois você pecou. Você está colhendo o que você plantou. A bíblia diz isso. “Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá” (Gálatas 6:7). Com certeza, os amigos de Jó ouviram sobre este princípio embora ele tenha sido escrito milhares de anos para frente. Embora este princípio seja bíblico, o conselho que os amigos de Jó deram não vieram de Deus. Pelo contrário, Deus ficou indignado com estes homens e seus conselhos. “Depois que o Senhor disse essas palavras a Jó, disse também ao Elifaz, de Temã: “Estou indignado com você e com os seus dois amigos, pois vocês não falaram o que é certo a meu respeito, como fez meu servo Jó” (Jó42:7). Perceba que o Senhor estava indignado com os três amigos de Jó, pois eles não falaram o correto acerca de Deus.

 

“Quem o ajudou a proferir essas palavras, e por meio de que espírito você falou?” (Jó 26:4)

 

Sabendo que os amigos de Jó pisaram na bola feio com Deus e com Jó, minha pergunta é: Quem tem sido sua fonte de sabedoria? Você fala de Deus para as pessoas com base no que? Nas suas experiências passadas? Nas palavras que você ouviu no culto?

Infelizmente a maioria dos cristãos aconselham outros cristãos sem conhecer a Palavra de Deus, por consequência o próprio Deus. E ao invés de ajudar as pessoas, estão afastando as pessoas de Deus e ainda atraindo a ira de Deus sobre elas.

A pergunta de Jó aos seus amigos foi: Por meio de que espírito você tem falado?

Se um cristão não tem intimidade com Deus através da sua palavra, com certeza o espírito que está se falando não é o Espírito Santo de Deus.

 

Está faltando temor a Deus

 

“Disse então ao homem: ‘No temor do Senhor está a sabedoria, e evitar o mal é ter entendimento’ “. (Jó 28:28).

“O temor do Senhor é o princípio da sabedoria, e o conhecimento do Santo é entendimento” (Provérbios 9:10).

 

Temor no hebraico é yir’ah, que quer dizer medo, terror (referindo-se a Deus) respeito, reverência. Reverência no dicionário significa: respeito profundo por alguém ou algo, em função das virtudes, qualidades que possui ou parece possuir; consideração.

A falta de temor a Deus nos torna ignorantes, insensatos ou burros – para ser mais claro. A falta de temor a Deus tem feito que muitos cristãos discipulem pessoas sem ter experiência com a Palavra de Deus. Por isso, seus conselhos são meramente motivacionais e surtem efeitos paliativos e não eternos. Quantos discipuladores estão cansados e sobrecarregados pois querem aconselhar pessoas na força do seu braço e muitas vezes falam coisas que a bíblia não está dizendo. Usam livros como base para aconselhamento que não tem base nas escrituras. Por isso, muitas pessoas estão feridas com discipulados. Não querem nem ouvir esta palavra. Quando não tem temor de Deus, não pode haver sabedoria. Se você não tem uma vida diária de reflexão na palavra, você não tem autoridade de Deus para aconselhar ninguém em nome de dEle. Você pode aconselhar quantas pessoas você quiser, mas em nome de Deus, não.

 

Jesus é a fonte de sabedoria.

 

“No último e mais importante dia da festa, Jesus levantou-se e disse em alta voz: “Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva” (João 7:37,38).

 

Jesus afirma no evangelho de João que aqueles que crerem em Jesus, do seu interior fluiriam águas vivas. Água na bíblia tem dois significados, Espirito Santo e Palavra. Um sem o outro não tem efeito. Um depende do outro. Jesus é fonte que traz a verdadeira sabedoria. Cristo habitando em minha vida através do Espirito Santo, me ensina através da palavra para que possa ensinar outros. A sequência é esta: Deus se revela para nós através de Cristo. Cristo habita em nós através do seu Espírito. E o Espírito Santo em nós usa a Palavra de Deus para nos santificar e ajudar outros.

Porém, se lermos as escrituras sem o Espírito Santo, não teremos a revelação de Jesus como filho de Deus, assim como aconteceu com os judeus.

“Vocês estudam cuidadosamente as Escrituras, porque pensam que nelas vocês têm a vida eterna. E são as Escrituras que testemunham a meu respeito” (João 5:39).

Quem tem o Espírito Santo, vai ter vontade de ler a palavra. Lendo a palavra ele conhecerá o Jesus ressuscitado que não está na manjedoura, nem pregado numa cruz, mas a direita do Deus Pai. Nome sobre todo nome é nome de Jesus. Se um cristão não gosta de bíblia ou não usa a palavra para aconselhar, este está falando em nome de outro deus e outro espírito e a ira de Deus está sobre ele.

Minha pergunta é: Em nome de que deus você está falando? Em nome de que espírito você está aconselhando?

Aqueles que amam a palavra e tem relacionamento com ela, falam em nome do Deus todo poderoso e aconselham em nome do Espírito Santo de Deus. Os que agem assim, diferentemente dos amigos de Jó, atraem o favor de Deus.