Palavra Conecta // 20 de outubro

JESUS O MAIOR PROFESSOR QUE JÁ EXISTIU

(JOÃO 3:1-8)

 

O ano é 1990, eu cursava a terceira série (atual quarto ano) do ensino fundamental na escola básica municipal Vidal Ramos. O nome da minha professora era Angelis. Eu e toda turma chamávamos ela carinhosamente de dona Angelis. No final do ano, dona Angelis propõe a toda turma um negócio chamado amigo invisível ou amigo oculto. Algo que até aquela idade eu não tinha noção do que seria. Quando soube que eu dava um presente e ganhava outro presente, fiquei muito empolgado. Naquela época o que maioria dos alunos e alunas iriam dar, seria uma barra de chocolate. Eu estava muito ansioso, pois barra de chocolate era algo raro na minha casa. Eu e meu irmão só ganhávamos chocolates na páscoa e natal. Então uma barra de chocolate, seria muito bem-vinda. Meu maior problema foi convencer meu pai a comprar o tal presente. Depois de muito insistir, meu pai foi comigo no bar e mercearia Schramm. Lá, ele comprou a barra de chocolate para pagar quando recebesse o salário da sua aposentadoria. Cheguei em casa todo feliz e minha mãe embrulhou meu presente de amigo secreto. Eu não lembro quem eu peguei, mas lembro quem me pegou. Você vai saber mais na frente por quê. Chegando o grande dia, meu coração estava a mil, toda a sala em festa de final de ano. Eu já estava passado direto de ano, e o amigo secreto seria para coroar o ano maravilhoso de 1990. Quando começou a revelação do amigo secreto, ansiedade a mil. Cada pessoa que tinha uma barra de chocolate na mão, eu imaginava que era eu, mas ia passando os alunos e alunas e eu não era chamado. Até que aparece um aluno chamado Manasses. Menino mais carente que eu. Eu percebo que na sua mão não tinha uma barra de chocolate, mas um sabonete, pois nem embrulhado estava o presente.  Quando ele começa a falar, eu fico pensando: “eu não posso ser o amigo secreto dele”, mas conforme ela foi falando das características do amigo secreto dele, todos falaram: “é o Walter!!”. Ele então confirma que era eu seu amigo secreto. A primeira coisa que fiz, foi chorar copiosamente. Neste momento, a dona Angelis me abraçou e me levou para fora da sala. Fora da sala eu chorei em seus braços toda a minha frustação por não ter ganhado uma barra de chocolate. Lembro que após o choro, veio a gozação dos meus amigos sobre o sabonete que eu tinha ganhado. Mas já não tinha mais dor, pois a dona Angelis naquele momento, foi usada por Deus para me ajudar a superar uma frustação.

O que seria de nossa vida se não fosse um professor ou professora? Com certeza, você tem um ou vários professores que marcaram sua vida. Eu creio que a maioria positivamente, mas podem ter alguns que negativamente. Mesmo assim, creio que o professor seja a profissão mais importante de todas, pois sem professor não teria nenhuma outra profissão. Todas as profissões precisam de alguém que as ensine antes de fazer. E os professores do ministério infantil? Quantos foram influenciados pelo TIC e TAC ensinando através dos teatros princípios da palavra? A lista é imensa de professores e professoras que influenciaram e continuam influenciando gerações através do ensino. Ser professor está muito além de ensinar português, matemática, mas o verdadeiro professor também ensina com a própria vida e muitas vezes faz o papel de pai e mãe.

 

Jesus o maior professor que já existiu  

 

“E havia entre os fariseus um homem, chamado Nicodemos, príncipe dos judeus.

Este foi ter de noite com Jesus, e disse-lhe: Rabi, bem sabemos que és Mestre, vindo de Deus; porque ninguém pode fazer estes sinais que tu fazes, se Deus não for com ele”.

(João 3:1,2)

 

Fariseu significa separo. Eles não eram separatistas, mas no sentido de pureza da lei de Moisés e das tradições que eles acrescentaram à legislação do antigo testamento. Normalmente vinham da classe média dos judeus, os fariseus influenciavam fortemente o povo comum de Israel. Estima que na época de Jesus haviam 6 mil fariseus. Os fariseus foram sem dúvida quem Jesus mais criticou.

Nicodemos significa vencedor sobre o povo. Embora fosse fariseu, ele era de origem grega. Ele era membro do Sinédrio. O Sinédrio era o principal corpo governante dos judeus na palestina. Era a “suprema corte” judaica ou conselho governante da época. Ele era composto pelo sumo sacerdote (presidente), pelos principais sacerdotes, pelos anciãos (chefes de famílias) e pelos escribas, num total de 71 membros. O método de nomeação era tanto hereditário quanto político. O Sinédrio executava jurisdição civil e criminal, segundo a lei judaica. Em caso de pena de morte, era necessário a autorização do procurador romano.

Nicodemos foi falar com Jesus. Ao se aproximar dele o chamou de Rabi que quer dizer “meu grande mestre”. Em seguida ele chama Jesus de Mestre vindo da parte de Deus. A palavra mestre no grego é didaskalos, que significa professor. Nicodemos estava diante do grande mestre ou grande professor vindo da parte de Deus.

 

 

Qual foi o ensinamento que o professor Jesus deu a Nicodemos?

 

“Jesus respondeu, e disse-lhe: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus”. (João 3:3)

 

A palavra em verdade, em verdade é uma expressão típica do evangelho de João. Ela aparece 25 vezes e quer dizer amém, amém. É uma expressão para dizer que este assunto é muito importante. Outra coisa que chama atenção foi que Jesus respondeu uma pergunta que Nicodemos nem tinha feito. Jesus como o grande professor, leu o coração de Nicodemos e foi na essência do problema dele. Assim Jesus faz conosco. A necessidade de Nicodemos era de uma transformação espiritual. Algo que ele sozinho não conseguia fazer embora fosse uma pessoa muito inteligente e de um alto escalão do governo.

A resposta de Nicodemos foi: “Como pode um homem nascer, sendo velho? Pode, porventura, tornar a entrar no ventre de sua mãe, e nascer?” (João 3:4). Embora Nicodemos fosse também professor (mestre), ele não estava compreendendo o ensinamento de Jesus, e faz uma pergunta a Jesus tentando entender esta verdade tão importante para ele. Jesus, então explica melhor para Nicodemos. “Jesus respondeu: Na verdade, na verdade te digo que aquele que não nascer da água e do Espírito, não pode entrar no reino de Deus”. (João 3:5). O assunto de Jesus era espiritual, por isso, não explicado de maneira natural. Nascer da água aqui não está falando no sentido literal, mas no sentido de purificação interior. Uma renovação interna que precisa acontecer no interior de todo o ser humano por causa do pecado. E só quem pode mudar o interior do ser humano é o professor Jesus.

 

“O vento assopra onde quer, e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai; assim é todo aquele que é nascido do Espírito”. (João 3:8)

 

O que Jesus quis dizer é que, assim como o vento não pode ser controlado ou compreendido pelos seres humanos, mas os seus efeitos podem ser testemunhados, assim acontece com o Espírito Santo. Ele não pode ser controlado ou compreendido, mas a prova de sua obra é aparente. Onde o Espírito atua, ali há evidência inegável e certa. Por isso, o Reino de Deus é subjetivo. Ele é um milagre, não tem explicação. Só podemos ver as evidências destes milagres naqueles que já experimentaram o novo nascimento.

Quem sabe hoje não é o dia que Deus escolheu para que você nasça de novo.