Palavra Conecta // 25 de agosto

Quem é Jesus?

(Mateus 22:41-46)

 

Segundo estimativas, no Brasil o nome Jesus é consultado em média de 150 mil vezes por mês. Jesus é um nome internacionalmente conhecido. Embora no Brasil ainda há pessoas que não ouviram falar sobre Jesus, podemos afirmar que a maioria dos brasileiros já ouviram falar de Jesus. No Brasil, se estima que somos 40 milhões de evangélicos. Sendo assim, deveríamos afirmar que no mínimo 40 milhões de pessoas conhecem a Jesus. O que chama a atenção, é por que se tanta gente “conhece” a Jesus, a igreja, principalmente brasileira, é tão fraca no envolvimento com o servir? Se Jesus ordenou que seus discípulos fossem servos (Mateus 10:42-45), por que vemos tão poucos servos nos dias atuais? Eu não tenho dúvida que o fato de ter poucos servos entre os cristãos brasileiros, se dá por não conhecerem a Jesus o filho de Deus.

No texto de Mateus, Jesus usa uma pergunta para testar o conhecimento dos fariseus. A pergunta foi simples. O que vocês pensam a respeito do Cristo? De quem ele é filho?

(Mateus 22:42). A resposta dos fariseus foi: “É filho de Davi” (Mateus 22:42).

Cristo significa o ungido, aquele que Deus iria enviar para salvar o povo de Israel. Todo o povo judeu tinha a expectativa de um messias (salvador). Deus prometeu a Davi que a sua geração permaneceria para sempre. “Quanto a você, sua dinastia e seu reino permanecerão para sempre diante de mim; o seu trono será estabelecido para sempre”. E Natã transmitiu a Davi tudo o que o Senhor lhe tinha falado e revelado (2 Samuel 7: 16-17). De fato, a genealogia proposta por Mateus no primeiro capítulo do seu Evangelho, está baseada nesta promessa. Foi estruturada em 3 grupos de 14 gerações: de Abraão até Davi, de Salomão até o Exílio em Babilônia e da volta do Exílio até Jesus, em quem se realiza a promessa de um “trono” estabelecido para sempre. O número 14 na genealogia de Mateus ganha valor ainda mais especial se consideramos que as letras hebraicas que compõe o nome de Davi, somadas, dão o valor 14.

Jesus então, questiona os fariseus de como Davi chama seu filho de Senhor? Embora os fariseus e os escribas fossem pessoas com profundo conhecimento teórico das leis de Moisés, eles não possuíam a revelação do Cristo, pois segundo seus entendimentos o salvador seria um rei nos moldes de Davi, Salomão, etc. Alguém que fosse libertar o povo judeu do domínio dos romanos.

Infelizmente, muitos cristãos de hoje, tem a mesma revelação de Jesus que os fariseus tinham. Vem um Jesus até como modelo a ser seguido, alguém para ser admirado. Esperam por alguém que os ajude com as coisas desta vida, e não a eternidade. Conhecem Jesus no Intelecto, mas não tem a revelação do messias, do salvador. Embora Jesus foi cem por cento humano, a bíblia também afirma que ele é Deus. E essa pobre revelação de Cristo, tem feito muitos cristãos viverem uma vida sem graça.

 

Quem é Jesus segundo as escrituras?

 

Embora Mateus comece o evangelho com a genealogia de Mateus provando que ele era descendente de Davi, Marcos e Lucas fazem questão de apresentar Jesus como filho de Deus. Já João apresenta Jesus como Deus.

Princípio do evangelho de Jesus Cristo, o Filho de Deus (Marcos 1:1);

“Jesus tinha cerca de trinta anos de idade quando começou seu ministério. Ele era, como se pensava, filho de José, filho de Eli… filho de Matusalém, filho de Enoque, filho de Jarede, filho de Maalaleel, filho de Cainã, filho de Enos, filho de Sete, filho de Adão, filho de Deus” (Lucas 3:23;37,38);

“No princípio era aquele que é a Palavra. Ele estava com Deus, e era Deus.

Ela estava com Deus no princípio. Todas as coisas foram feitas por intermédio dele; sem ele, nada do que existe teria sido feito” (João 1:1-3).

O que os evangelhos querem nos passar é a divindade de Jesus. “Jesus é o caminho a verdade e a vida, ninguém vai a Deus (Pai) se não for através de Jesus” (João 14:6). Paulo afirma que não são todos os caminhos que nos levam a Deus. “Porque há um só Deus, e um só Mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” (1Timóteo 2:5).

Jesus é o único que podes nos salvar. “Este Jesus é a pedra que vocês, construtores, rejeitaram, e que se tornou a pedra angular’. Não há salvação em nenhum outro, pois, debaixo do céu não há nenhum outro nome dado aos homens pelo qual devamos ser salvos”. (Atos 4:11,12).

Todo a terra se curvará diante de Jesus e confessará que Jesus é o Senhor. “Por isso Deus o exaltou à mais alta posição e lhe deu o nome que está acima de todo nome,

para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho, no céu, na terra e debaixo da terra,

e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus Pai” (Filipenses 2:9-11).

 

Eu e você precisamos da revelação do Jesus divino (Lucas 5: 1-11)

 

Lucas relata um acontecimento histórico na vida de Pedro. Ele, Tiago e João haviam tentado pescar a noite inteira e não pegaram nada. Quando estão lavando as redes de uma péssima noite, aparece um homem chamado Jesus e usa seu barco para poder ensinar uma pequena multidão que queria ouvir o que aquele homem está falando. Com certeza, Pedro, Tiago e João ouviram o discurso de Jesus enquanto lavavam suas redes. Ao término dos ensinamentos de Jesus, Pedro é desafiado pelo próprio Jesus a pescar novamente. Pedro obedece e junto com seus companheiros, voltam a pescar. Só que agora, contrariando o que aconteceu a noite inteira quando não pescaram nada, as redes estão cheias de peixes, ao ponto de os barcos quase afundarem. Pedro e seus companheiros deveriam estar alegres pois tiveram, se não a maior, umas das maiores pescas da sua vida. Com certeza Pedro poderia estar pensando que com esta pescaria daria para pagar suas contas, fazer investimentos na sua peixaria, ou ainda comprar algum móvel novo para casa. Estranhamente não foi isso que aconteceu. O Pedro que antes emprestou o seu barco para um humano chamado Jesus, agora estava diante do Jesus divino e sua atitude foi: “Quando Simão Pedro viu isso, prostrou-se aos pés de Jesus e disse: “Afasta-te de mim, Senhor, porque sou um homem pecador! “(Lucas 5:8). E o mais louco foi quando chegaram na praia. “Eles então arrastaram seus barcos para a praia, deixaram tudo e o seguiram” (Lucas 5:11).

Pedro não tinha a maior noção do que seria pescar homens, mas quando se tem um encontro com Jesus divino, o Jesus filho de Deus, tudo perde o valor. O que Jesus pede para fazer é um prazer.

Eu não tenho dúvida de que o que falta hoje em nossos dias, é a revelação do Jesus divino.