Palavra Culto Domingo // 02 de setembro

VOCÊ FOI MOLDADO POR DEUS

(Jó 10:8; Isaías 43:21)

 

Deus formou a cada um de nós, deu um molde, uma forma. Fomos concebidos com exclusividade para a realização de determinadas tarefas. Antes de os arquitetos projetarem um novo prédio, eles primeiro perguntam: “Para que propósito?”; “como será usado?”. A função pretendida sempre determina a forma do prédio!

Antes de Deus o criar, Ele decidiu que papel queria que você desempenhasse na terra. Assim, Ele planejou você exatamente como queria que você O servisse. Você é da forma que é porque foi feito para um ministério específico.

Davi declara: “Tu criaste o íntimo do meu ser e me teceste no ventre de minha mãe. Eu te louvo porque me fizeste de modo especial e admirável. Tuas obras são maravilhosas! Digo isso com convicção” (Salmos 139:13-14). Deus não faz porcaria! Tudo o que Ele faz é bem feito, com graça e esmero. Por isso, quando nos desvalorizamos, ou auto depreciamos, estamos desprezando a criação e afrontando a Deus. Satanás tenta nos dizer que somos menores do que os outros, menos capazes, menos importantes, inúteis… Ele investe na história de vida das pessoas causando traumas, complexos, feridas emocionais…, na intenção de impedir que o propósito de Deus se cumpra em nós.

Deus não apenas moldou você antes do nascimento, mas planejou cada dia da sua vida em seu processo de formação. Davi continua: “Os teus olhos viram o meu embrião; todos os dias determinados para mim foram escritos no teu livro antes de qualquer um deles existir” (Salmos 139:16). Tudo o que eu vivi e ainda viverei tem um significado, contribui para dar forma à minha existência, a fim de servir ao próximo perante Deus. Ele não nos daria habilidades, interesses, talentos, dons, personalidades e experiência de vida, a menos que pretendesse usá-los para a Sua glória.

 

Você tem uma forma espiritual

Somente os cristãos têm dons espirituais. Eles nos são dados para serem usados no ministério. São habilidades concedidas por Deus para servi-Lo. Você não pode adquirir dons espirituais ou mesmo merecê-los, por isso são chamados dons. São manifestações da graça de Deus. Cristo generosamente dividiu Seus dons conosco: “E  a cada um de nós foi concedida a graça, conforme a medida repartida por Cristo” (Efésios 4:7). E não somos nós que os escolhemos, é Deus quem os determina (I Coríntios 12:11). Nenhum indivíduo possui todos os dons, pois um dos propósitos de Deus é nos ensinar a amar e depender uns dos outros.

Seus dons não foram concedidos para benefício próprio, mas para o benefício dos outros (I Coríntios 12:7). Quando temos essa consciência, não vamos usar o dom para nos autopromover, nem ficar com inveja ou insatisfeitos comparando os nossos dons com os de outras pessoas.

 

Você tem uma paixão

A Bíblia usa o termo “coração” para definir a sede de todos os nossos estímulos – o que você ama fazer, seus interesses e o que mais lhe importa (Provérbios 27:19). Seu coração determina o porquê de você dizer as coisas que diz, sentir-se como se sente e agir da forma que age. Nós, instintivamente, importamo-nos com algumas coisas e desconsideramos outras. São pistas de onde você deveria estar servindo.

Outra palavra para coração é “paixão”. Existem certos assuntos que lhe despertam paixão e outros para os quais você não liga a mínima. De onde vieram esses interesses? Vieram de Deus. Imagine como eles podem ser usados para a glória de Deus. Há uma razão para que você goste de fazer essas coisas!

A Bíblia nos manda servir ao Senhor com todo o coração (Deuteronômio 11:13). Deus quer você O sirva apaixonadamente, e não por obrigação. Como você sabe quando está servindo a Deus de coração? Dois sinais:

  1. Entusiasmo. Quando você está fazendo o que ama fazer, ninguém precisa motivá-lo, desafiá-lo ou inspecioná-lo. Você o faz pelo mero prazer. Você não precisa de recompensas, aplausos, ou pagamento, porque adora servir dessa forma. O oposto também é verdade: quando você não se entusiasma com o que faz, é facilmente desestimulado.
  2. Eficiência. Todas as vezes que você faz o que Deus o condicionou a amar, você se torna bom nisso. A paixão leva à perfeição. Se você não se importa com uma tarefa, é improvável que se destaque nela. Em contrapartida, os maiores realizadores, em qualquer campo, são movidos pela paixão, e não por lucro ou obrigação.

Não se conforme em apenas alcançar uma “boa vida”. Porque uma boa vida não é boa o suficiente. Você pode ter muito do que viver e ainda assim não ter para que viver. Em vez disso almeje a “vida melhor”- servir a Deus de forma que exprima o que está em seu coração.