Palavra Culto Domingo // 26 de agosto

SERVIÇO: CULTURA DO REINO

(Mateus 20:20-28)

 

 

A etimologia da palavra SERVIÇO, nos ensina que servir é o mesmo que ser escravo. Um escravo não tem vontade própria, mas está em tudo submisso à vontade de seu senhor.

O exemplo de Jesus no texto em referência, deixa claro qual postura os discípulos deveriam adotar no convívio social. Ainda que estes, estivessem tão próximos ao Mestre, eram tentados pelo sistema do mundo, olhando para a igreja de maneira carnal e não espiritual. O objetivo do pedido da mãe de Tiago e João seria normal se fosse uma questão de reino natural e humano, mas Salomé que era irmã de Maria (mãe de Jesus) apenas queria o melhor para sua família.

A cultura do servir, deve ser desenvolvida entre nós, nos alcançando como família e nos levando também para fora das paredes da religião, pois Jesus se faz conhecido por intermédio da sua igreja. Se esse organismo vivo, que é a igreja, se manifestar a favor do mundo, todos os povos irão conhecê-lo.

 

Servindo de maneira consciente

A solicitação daquela mãe, se deu em virtude dela já ter consciência de que seus filhos eram servos de Jesus, pois a Bíblia relata que ao receberem o chamado do Mestre, eles deixaram imediatamente o que estavam fazendo e o seguiram (Mateus 4:20-21). Quando somos salvos por intermédio deste amor maravilhoso, instantaneamente nasce em nós uma consciência de pertencimento. Não somos mais pessoas naturais, mas agora fazemos parte do Reino de Deus. Nosso galardão por caminhar com o Senhor e O servir já está consumado na Cruz, não temos que nos preocupar com posições (Mateus 20:21).

 

Servindo através dos dons

Jesus explicou que apesar de não ser Ele quem designa a posição no Reino, daqueles que lhe servem, estes também terão participação nas lutas e sofrimentos (Mateus 20:23). A forma com que somos equipados para o serviço e ministério é através dos dons do Espírito concedido aos homens, e isto com um propósito muito bem definido.

“E disse-lhes: Vinde após mim, e eu vos farei pescadores de homens (Mateus 4:19). Como estes discípulos, nós também estamos dotados de capacitação espiritual para viver e cumprir o chamado de Deus. Quando Ele subiu em triunfo às alturas, levou cativo muitos prisioneiros, e deu dons aos homens” (Efésios 4:8). Estes dons são capacitações específicas (Efésios 4:11-13), (Romanos 12:6-11), (1 Coríntios 12: 7-10), (1 Pedro 4:9-10).

 

Servindo através dos ministérios

A palavra ministério na bíblia, é também traduzida por serviço, como nos exemplos acima citados. Entretanto, o padrão existente no mundo pode confundir a compreensão exata da maneira de atuação entre nós (Mateus 20:25-26). Os ministérios na igreja têm uma íntima relação com dons e talentos que recebemos, mas isso não pode determinar um exclusivismo na conduta de servir. Quando pensamos que só se pode fazer algo no Reino, que esteja relacionado diretamente ao dom que recebemos, corremos o risco de agir de maneira religiosa ou até mesmo idólatra.

O governo federal do Brasil possui 29 ministérios e cada um que existe traz consigo possíveis dois equívocos: O ministro, que se torna alguém acima da sua realidade de trabalho, agindo de forma superior às leis e à sociedade. O ministério em si, que trabalha de forma individualizada, privando apenas seu bem-estar e não visando o bem comum social.

A Bíblia nos ensina, através da instituição dos diáconos, que o serviço e ministério entre os irmãos deve ser aplicado de forma equilibrada: “E quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério (Diakonia) da palavra” (Atos 6:4).

 

Servindo segundo o exemplo de Jesus

Jesus deixa a receita para sermos bem-sucedidos (Mateus 20:27-28). Decidir ser servo de todos, doando-se com seus dons e talentos e tudo de melhor que puder, permitindo que através de seu serviço o propósito de resgate de muitos se cumpra (João 13:13-16).