Palavra e Roteiro de célula // 17 de junho

Escreveremos sozinhos nossa história?

Gênesis 3:6-14

 

Cada um de nós tem uma história, e é responsável por ela. Todos os dias recebemos páginas em branco, prontas a serem escritas. É unicamente nossa, a responsabilidade pela forma como essas páginas serão escritas.

Temos uma grande tendência de culparmos os outros por nossos fracassos pessoais. Não fazemos o que é para ser feito e vamos culpando nossos pais, nossos líderes, a sociedade e assim por diante. Não assumimos nossas responsabilidades, e por consequência, não mudamos nossas atitudes. Mas não foi sempre assim:

1- Deus nos criou à Sua imagem.

“Criou Deus o homem à Sua imagem, à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou”. (Gênesis 1:27)

Deus nos criou à Sua imagem, caráter e santidade. A essência de Deus (Seu caráter e santidade) foi colocada em nós. Mas, Ele ainda nos deixou com direito de escolha, o “livre arbítrio”. O homem poderia escolher sua história com Deus ou sem Ele, mas infelizmente escolheu a pior parte.

        2- Por causa da nossa escolha, (afastamento de Deus, desobediência, viver de seu próprio jeito…) estamos à mercê da morte, originada pelo Pecado.

“Portanto, da mesma forma como o pecado entrou no mundo por um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte veio a todos os homens, porque todos pecaram;” (Romanos 5:12)

         Não fazemos idéia de quão avassalador e destrutivo é o Pecado em nossas vidas. O Pecado nos tirou o privilégio de não ter que experimentar a morte, ele nos roubou. E pior, fomos nós que permitimos isso. Entregamos de bandeja, porque decidimos nos rebelar contra Deus. Escolhemos a maldição e não a benção, a morte e não a Vida. Não vivemos mais, estamos apenas sobrevivendo. Tudo porque pecamos, nos afastando de Deus.

        3- Graças a Deus, Seus planos jamais serão frustrados. Somos remidos pelo Sangue de Jesus.

“Nele temos a redenção por meio de seu sangue, o perdão dos pecados, de acordo com as riquezas da graça de Deus.” (Efésios 1:7)

Deus enviou Seu Filho amado para pagar o preço pela nossa desobediência, Jesus abriu mão do Seu trono de glória, para pagar nossa dívida. Quem era para estar na cruz? Nós deveríamos estar na cruz. Jesus se fez homem, passou por tudo que passamos, todo tipo de rejeição, desde o ventre de sua mãe, mas com uma diferença “não pecou”. Assim Ele pagou o preço pelo nosso Pecado. Que preço foi esse? Todo Seu sangue.

“Contudo aos que o receberam, aos que creem em seu nome, deu-lhes o direito de se tornarem filhos de Deus.” (João 1:12)

          Somente quem recebe a Jesus como único Senhor e Salvador de sua vida, tem o direito de ser feito filho de Deus.

           4- Assim começa o processo do novo nascimento, pela Palavra e pelo Espírito.  

“Em resposta, Jesus declarou: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo”. Perguntou Nicodemos: “Como alguém pode nascer, sendo velho? É claro que não pode entrar pela segunda vez no ventre de sua mãe e renascer!” Respondeu Jesus: “Digo-lhe a verdade: Ninguém pode entrar no Reino de Deus, se não nascer da água e do Espírito.” (João 3:3-5)

Há uma guerra dentro de nós, uma luta entre carne e Espírito. Nessa luta, quem prevalecerá? Aquele a quem mais alimentarmos. Se alimentarmos a carne, certamente ela prevalecerá, mas se alimentarmos o Espírito, através da oração, da Palavra e do jejum, é este quem vai prevalecer.

Aqui entra a importância do discipulado correto, aquele que é uma consequência da intimidade que já temos com Deus. Discipulado sem vida com Deus é brincar de discipulado, é perda de tempo, tanto para o discípulo quanto para o discipulador.

É preciso ter a consciência de que sozinhos não vamos conseguir vencer o inimigo e muito menos nossa carne. É de vital importância que tenhamos um discipulador, uma pessoa para abrirmos o coração, compartilharmos as dificuldades e pedirmos ajuda. Mas o maior problema, é que nessa questão o Diabo tem enganado a muitos, colocando pensamentos do tipo: “O que vão pensar, se eu me abrir sobre determinado assunto?” O que o inimigo quer é nos deixar em sua mão, seu objetivo é nos destruir, fazer com que percamos a salvação que Jesus conquistou por nós. Que prevaleça o Espírito!

            5- Assim voltamos ao projeto original, sendo transformados à Sua imagem.

“E todos nós, que com a face descoberta contemplamos a glória do Senhor, segundo a sua imagem estamos sendo transformados com glória cada vez maior, a qual vem do Senhor, que é o Espírito.” (2 Coríntios 3:18)

Todos os dias somos transformados à imagem do nosso Mestre. Não estamos mais sozinhos, agora temos nosso amigo Espírito Santo. Temos um discipulador e irmãos da célula, que nos auxiliam nessas mudanças. Essa é a Igreja que o Diabo não paralisa, que entende que não pode andar sozinha.

              6- Devemos nos entregar totalmente Àquele que nos redimiu.

“Portanto, irmãos, rogo-lhes pelas misericórdias de Deus que se ofereçam em sacrifício vivo, santo e agradável a Deus; este é o culto racional de vocês.
Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus.”
(Romanos 12:1,2)

Precisamos nos entregar mais e mais a cada dia, não nos deixando enganar, pela nossa alma (sentimentos), pela nossa carne (coisas que já experimentamos: vícios, prostituição, pornografia, roubo, avareza…) e pelo que o diabo nos oferece, (fama, dinheiro, conforto, prazer imediato e alegria passageira), para que possamos experimentar a Vida plena e abundante (Zoe) que Deus preparou para nós.

7- Felicidade verdadeira somente em Jesus, felizes pela glória vindoura.

“…por meio de quem obtivemos acesso pela fé a esta graça na qual agora estamos firmes; e nos gloriamos na esperança da glória de Deus. (Romanos 5:2)

Podemos até tentar buscar a alegria em coisas desse mundo, mas certamente ficaremos frustrados. A alegria que esse mundo dá é passageira e cobra muitas vezes um preço alto. Jesus nos enche com Sua alegria, mudando nossa história, apagando tudo de errado que escrevemos. Ele nos ajuda a escrever uma nova história, assim como o Pai planejou desde o princípio.

Conclusão:

A decisão é nossa! Continuaremos escrevendo nossa história sozinhos e como consequência, colhendo o fruto de nossas más decisões? Ou nos entregaremos a Jesus, deixando Ele escrever essa linda história de amor, que o próprio Deus planejou?

 

roteiro de célula